quinta-feira, 24 de outubro de 2013

Ao Encontro da Semente


Imagem intercalada 1

Ao Encontro da Semente

15, 16 e 17 de Novembro de 2013

Vimioso - Casa da Cultura

Apresentação

A Casa da Cultura do concelho de Vimioso, espaço nobre das artes da região, é o palco do mais digno dos ofícios, a agricultura, materializada no património tradicional cultivado pelas suas gentes. O levantamento da diversidade hortícola e frutícola existente neste concelho, continuada e mantida pelos presentes agricultores, superou os desejos que a nossa imaginação tinha arquitectado.
As propícias circunstâncias em que este longo trabalho se desenrolou revelaram contactos humanos estimulantes, incluindo o poder local, que desde o início acarinhou a ideia de estudarmos e darmos a conhecer o activo património agrícola que existe em contra-ciclo nestes tempos difíceis, em que se valoriza somente o nebuloso conceito de «modernidade», enredado em bastantes equívocos e em labirintos de onde muito poucos saem ilesos. O futuro reconhecerá porventura os benéficos efeitos práticos das actividades agrícolas, ditas de subsistência, que permanecem como marcos de identificação nos contextos rurais como o de Vimioso.
O território do concelho encontra-se inserido na Terra Fria Transmontana, condicionado pelas linhas de água que provocam uma orografia acidentada, onde os rios Angueira e Maçãs, correndo paralelamente no sentido norte-sul, finalmente se fundem, delimitando o termo do concelho.
Estes dois rios esculpiram a actual geografia, deixando ao longo das margens várzeas com aluviões, espaços dedicados a esmeradas hortas, encostas abruptas que mantêm olivais, amendoais e alguma flora espontânea, e também provocaram os planaltos onde se semeiam os cereais e onde abundam os lameiros, rodeados por sebes de freixo para sustento do gado.
O amplo espólio que estará exposto na iniciativa Ao Encontro da Semente de 2013 traduz de forma substancial o que é cultivado neste extremo do território português, reflectindo também o ânimo sentido pelos agricultores e pelas agricultoras com as virtudes e benefícios das variedades que herdaram dos seus antepassados. Estes incansáveis hortelãos crêem igualmente na diferença alimentar que os produtos de sua lavra proporcionam e na autonomia que granjeiam, pilar essencial para a continuidade da diversidade vegetal nas hortas e campos deste país.
A iniciativa Ao Encontro da Semente, para além de mostrar as espécies e consequentes variedades cultivadas na região, pretende proporcionar aos participantes uma experiência gastronómica de boa cepa. Como vem sendo hábito dos encontros anteriores, mantemos a preocupação de enveredar para a componente prática dos produtos cultivados e colhidos, pondo na mesa parte desse acervo e traduzindo-o em pratos de índole local.

Programa

Sexta - 15 de Novembro - Casa da Cultura de Vimioso

15:00 - Abertura da exposição. Visita dos alunos do Agrupamento de Escolas de Vimioso.
21:00 - Projecção de filme: Pierre Rabhi: em nome da terra, Documentário de Marie-Monique Dhelsing (França, 2013). Legendado em português - 1h40.

Sábado - 16 de Novembro - Casa da Cultura de Vimioso

09:00 - Recepção e inscrição de participantes.
09:30 - Sessão inaugural do encontro.
10:00 - Sessão de apresentações:
           - Apicultura biológica - Jorge Fernandes
           - A Oliveira Santulhana - Adrião Rodrigues
           - Queijo de cabra em modo de produção biológico - César Rodrigues
12:30 - Almoço.
15:00 - Apresentação do levantamento do património agrícola vegetal desde há muito cultivado no concelho de Vimioso - José Miguel Fonseca - Associação Colher para Semear
16:00 - Oficina prática de tracção animal - João Rodrigues - Associação Portuguesa de Tracção Animal.
18:00 - Degustação de produtos regionais.
18:30 - Visita à exposição e troca de sementes.
20:00 - Jantar.
21:30 – Magusto e Baile das colheitas com Las Çarandas

Domingo - 17 de Novembro - Casa da Cultura de Vimioso 
 Galerias - Mercado de produtos locais

09.30 - Oficina prática - Confecção de Cuscos 
10.30 - Oficina prática - Recolha e conservação de sementes
12:00 - Oficina prática – conservação de colheitas
13:30 - Almoço.
15:30 - Mesa de Sábios Moderada por António Strecht
           - Conclusões.
17:30 - Encerramento do Encontro.

Exposições permanentes:

Herbário da Flora da Península Ibérica – Augusto Krause e Ana Gonzalez Garço. Pueblo de castellanos, Sanabria
Exposição da casa da cultura – Viagem ao mundo rural, valorizar mãos que trabalham. Marcel Saudreau.

Informações

A participação é gratuita mas carece de inscrição prévia através dos endereços:

Ponte de Lima: Há cada vez mais procura de formação na área agrícola


ENSINO
Há cada vez mais jovens interessados no regresso à agricultura. Muitos deles vêm de outras áreas de formação e procuram uma especialização na agricultura. É isso mesmo que tem acontecido na Escola Superior Agrária do Instituto Politécnico de Viana do Castelo, sedeada em Ponte de Lima, que nos últimos três anos desenvolveu oferta formativa capaz de responder às solicitações dos alunos que queriam aprender um pouco mais sobre agronomia e sobre como gerir o negócio e de onde já saíram empresários de sucesso no país e no estrangeiro.
José Carlos Santos, subdirector da ESA, garante que estas são boas notícias que podem mudar o estado da agricultura do país - que no seu entender - “caminhou para uma situação de abandono nas últimas décadas”.

Continua in correio do minho

quinta-feira, 17 de outubro de 2013

Curso de Podas de Árvores Fruteiras


Sábado 09 Novembro 2013, 09:00 - 17:00por  quercus

 
O Núcleo Regional de Lisboa e o Grupo de Educação para a Sustentabilidade da Quercus apoiam, no âmbito da parceria com a Biovilla, o Curso de Poda de Árvores Fruteiras, a realizar no dia 9 de Novembro, nas instalações da Biovilla em Palmela.
 
Participe!
 
Curso Podas 09Nov 2013

terça-feira, 8 de outubro de 2013

Conhecer Melhor a Agricultura Biológica em Coimbra

Conhecer Melhor a Agricultura Biológica em Coimbra

Agrobio Promove Acção de Sensibilização na Escola Superior Agrária
Caros Associados e Amigos,

A Agrobio continua a sua digressão pelo país em nome da Agricultura Biológica. Desta vez convidamo-lo a juntar-se a nós, em Coimbra, para a Acção de Sensibilização do Serviço de Aconselhamento da Agrobio. A acção vai decorrer no próximo Sábado, dia 12 de Outubro, na Escola Superior Agrária de Coimbra, a partir das 9:30 e durará até às 17:00.

A sua presença é fundamental! Aproveite esta oportunidade para perceber a diferença entre a agricultura biológica e a convencional através de um ateliê de introdução à agricultura biológica. Além disso poderá perceber o funcionamento das hortas biológicas e ainda entender a influência da mais recente Política Agrícola Comum na vida de todos nós, enquanto consumidores e agricultores! Ficará também a conhecer o Serviço de Aconselhamento da Agrobio.

Para marcar a sua presença deverá inscrever-se pelo e-mail aconselhamento@agrobio.pt ou então directamente na Agrobio, presencialmente, ou via telefone 213 641 354 / 918 545 115 / 926754477. 



Ficamos à sua espera no próximo Sábado, traga consigo a boa disposição! 

Convite conferencia: os desafios da agricultura num contexto de alterações climáticas


quarta-feira, 2 de outubro de 2013

Alentejo - Academia de Plantas Aromáticas e Medicinais «apoia novos projectos»


Nasceu, na região regada pela água da Barragem de Alqueva, uma Academia das Plantas Aromáticas e Medicinais (PAM). O projecto apoia agricultores, já implementados ou em início de actividade, a produzir, transformar e comercializar. Uma iniciativa com os olhos no futuro: criar emprego e ganhar escala através de uma Organização de Produtores.

 Fotos: EDIA | 

Os agricultores da área de influência da albufeira de Alqueva, Alentejo, têm agora umaAcademia das Plantas Aromáticas e Medicinais onde podem recorrer para iniciar a produção biológica de Plantas Aromáticas e Medicinais (PAM).

Os campos alentejanos poderão dar origem a diferentes ervas, tais como, segurelha, tomilho, estragão francês, salva, funcho, calêndula, hortelã. Muitas destas espécies já estão a ser cultivadas no Monte do Pardieiro, em Messejana, sede da Academia.

O projecto é promovido por três entidades, nomeadamente a EDIA (Empresa de Desenvolvimento e Infra-estruturas de Alqueva), o CEVRM (Centro de Excelência e Valorização de Recursos Mediterrânicos) e o Monte do Pardieiro.

«A EDIA assegura a coordenação geral do projecto, realiza e coordena, com os outros parceiros, as acções de promoção, divulgação e formação da “Academia das Plantas Aromáticas e Medicinais de Alqueva”.

O CEVRM enquadra e apoia a fase de implementação de projectos na área das PAM, disponibilizando-se igualmente para, na medida das suas possibilidades, prestar apoio nas áreas da transformação, armazenamento e comercialização.

Por seu turno, o Monte do Pardieiro assegura a realização de acções de demonstração, através de dias abertos, de actividades relacionadas com a produção de PAM, prestando, nestes dias, os esclarecimentos técnicos que se afigurem necessários», explica José Costa Gomes e Ana Palma, responsáveis pelo projecto na EDIA.

Os potenciais interessados em investir nas PAM têm através da coordenação destas três entidades, apoio à implementação do projecto a diversos níveis, «desde a escolha de culturas, melhores técnicas, transformação e comercialização».

«Com a criação da Academia das Plantas Aromáticas e Medicinais de Alqueva procura-se apoiar a implementação de novos projectos, a nível da produção, transformação e comercialização, por forma a criar condições para a sua futura sustentabilidade técnico-económica», acrescenta José Costa Gomes e Ana Palma.

A Academia nasce por se verificar um «crescente interesse» dos agricultores da região alentejana «e de potenciais investidores» pelas ervas aromáticas. O interesse pelas PAM sobressai igualmente por não requisitar grandes extensões de terreno para a sua produção.

Os agricultores têm uma oportunidade de rentabilizar uma pequena parcela de terra e a região assiste à criação de postos de trabalho e à dinamização da economia.

José Costa Gomes e Ana Palma pormenorizam que as PAM «são culturas adaptadas a menores áreas de produção, áreas estas que a EDIA tem o máximo interesse em viabilizar e potenciar». Contudo a transformação e comercialização necessitam de uma escala maior, por isso, a Academia pretende ainda formar uma Organização de Produtores (O.P.).

«A produção de PAM, com algumas excepções, desenvolve-se em pequena propriedade, consistindo numa alternativa para este tipo de explorações. A transformação e comercialização destes produtos requerem uma escala maior.

A Academia pretende assim criar «uma fileira completa de produção de PAM, que se articule numa futura Organização de Produtores (O.P.), ainda a criar», sublinham os nossos interlocutores.

As actividades da Academia, dias abertos e acções de formação, estão ao alcance de qualquer pessoa, «agricultor já instalado, em vias de instalação ou simples curioso. Qualquer uma das entidades está disponível para prestar apoio e esclarecimento sobre potenciais projectos a desenvolver nesta área, na produção, na transformação e na comercialização-. Para fazer parte da Academia não é necessária uma adesão formal, podendo participar nas diversas actividades que se vão desenrolar», afirmam. In Café Portugal

terça-feira, 1 de outubro de 2013

Torres Novas - Feira Nacional dos Frutos Secos


A 28.ª edição do certame decorre de 3 a 6 de Outubro, no Palácio dos Desportos, em Torres Novas. Um evento que conta com uma mostra de frutos secos, artesanato e gastronomia. Paralelamente decorre a 11.ª Feira do Figo Preto de Torres Novas.

Café Portugal | terça-feira, 24 de Setembro de 2013

O Palácio dos Desportos vai receber inúmeros espaços dedicados aos frutos secos, momento para os produtores locais promoverem e comercializarem os seus produtos.

Num outro ponto da feira haverá tasquinhas e também várias bancas com doçaria regional do concelho.

Os ofícios não serão esquecidos sendo que no espaço «Artesanato» marcam presença vários artesãos a trabalhar ao vivo.

Do programa constam, ainda, actuações musicais e animações diárias para as crianças.

«Afirmar o concelho como "capital dos frutos secos” e dinamizar um sector com fortes raízes na tradição e na cultura torrejanas» são os objectivos do certame, vinca a organização.

Paralelamente à Feira Nacional de Frutos Secos decorre a 11.ª Feira do Figo Preto de Torres Novas

Os dois certames são organizados pela Câmara de Torres Novas, através da TurrisEspaços - empresa municipal.  


Local: Torres Novas
Horários:
Links: 
Contactos: Telfs: 249 813 019
E-mail: feira@turrisespacos.pt 

Informação tirada do Café Portugal